Artigos

Aliado do PT, Evo Morales quer criminalizar religião na Bolívia; por Miguel Filipe da Costa

A agenda totalitarista da esquerda, que teve seu ciclo interrompido no Brasil com a queda do PT, continua a todo vapor na Venezuela, assim como na nossa outra vizinha Bolívia.

O país boliviano pretende adotar um novo código criminal. E seria tudo bem se isso fosse em busca de uma sociedade mais justa. Porém se quer com tal atitude criminalizar a religião. Diz o artigo 88 do código:

“Será sancionado com prisão de sete (7) a doze (12) anos e reparo financeiro a pessoa que, por ele próprio ou por terceiros, capture, transporte, transfira, prive de liberdade, acolha ou receba pessoas com o fim de fazer o recrutamento de pessoas para sua participação em conflitos armados ou organizações religiosas ou de culto”.

Ou seja, acolher ou receber pessoas para organizações religiosas ou de culto passará a ser crime, o que criminalizará a prática religiosa.

Tal absurdo me faz lembrar a prática adotada pela ditadura soviética que instaurou um Estado ateu.

De comum entre os governos vigentes na Bolívia, Venezuela, Cuba, assim como com o PT; o viés marxista, numa repaginada contemporânea, que visa o domínio das democracias modernas para implantação dos ideais da esquerda, ideais oriundos de uma ideologia maligna que pensa que as liberdades emanam do Estado.

É por isso que o Democratas e todos aqueles defensores da liberdade devem se opor a governos tiranos e denunciar aqueles que não tem compromisso com o povo, nem com a liberdade e nem com a democracia.

Miguel Filipe da Costa é professor de geografia e Secretário Geral da Juventude Democratas Carioca

Fonte da foto: Arquivo ABr