Artigos

Nos últimos tempos temos assistido a uma ofensiva da esquerda em “defesa” da Petrobras. Então me vem a pergunta: Defender de quem? Dos corruptos? Não, nada disso. Para eles, a Petrobras deve ser defendida da oposição, da imprensa, etc, que desejariam acabar com “nossas” riquezas.

“O petróleo é nosso”, dizem os esquerdistas e nacionalistas. Será que é? Se o petróleo é realmente nosso, então por qual razão o brasileiro não obtém nenhuma vantagem?

A gasolina brasileira é uma das mais caras do mundo, além de ter qualidade duvidosa devido ao alto teor de álcool. Outra questão é o fato do preço da gasolina não ser compatível com o preço do barril de petróleo. Enquanto o preço do barril despenca e a gasolina no mundo torna se cada vez mais barata, no Brasil ocorre o contrário.

Um simples comparativo: o setor petrolífero americano, que é controlado por empresas privadas, cobra em média R$ 2,00 por litro de gasolina. Já no Brasil, cujo setor petrolífero é praticamente um monopólio estatal, o preço do litro é aproximadamente R$ 3,40.

Outra “bondade” da Petrobras são os altos investimentos em publicidade. Segundo o blog do jornalista Fernando Rodrigues, durante o governo Dilma as estatais gastaram em média R$ 1,387 bilhão por ano com publicidade. Sendo que as mais gastadeiras são: Petrobras, Banco do Brasil e Caixa.

E os gastos são maiores com as empresas parceiras do governo. Nos veículos parceiros, as estatais pagam um alto valor para um público diminuto.

Em qualquer época, país, governo, etc, estatais sempre são usadas como cabides de emprego. Além de piorarem a qualidade dos serviços, aumentarem preços e serem fontes de corrupção.

Qual a solução? Privatizar. Privatização é a solução. A esquerda sempre critica a privatização, mesmo sabendo que a mesma sempre trouxe benefícios à população. Os críticos da privatização o fazem com medo de perder sua influência e um dos principais meios usados na barganha política.

Vejamos alguns exemplos de privatizações.

Comecemos com a privatização da Telebras: antes da privatização existiam no Brasil aproximadamente 20 milhões de linhas telefônicas. O preço de uma linha podia passar de R$ 2000,00 e o tempo de espera era em torno de 2 anos. Hoje, 17 após a privatização, existem mais de 345 milhões de telefones¹ sendo que as linhas tem custo zero e uma demora de aproximadamente 1 semana. Com isso vemos que a privatização ajudou quem mais precisava.

Outro exemplo de sucesso foi a Vale. O lucro da Vale em 1997 foi de aproximadamente US$ 360 milhões². Antes da privatização, a Vale possuía 11 mil funcionários. Durante os 54 anos de existência estatal, a Vale investiu no Brasil aproximadamente US$ 25 bilhões³. Em 2011, a Vale pagou só de impostos ao governo mais de US$ 5 bilhões4 e hoje a Vale conta com mais de 100 mil funcionários. No ano de 2014, a Vale investiu US$ 14,8 bilhões no Brasil5 e a previsão para este ano é de US$ 10 bilhões6.

Estes exemplos mostram como a privatização gera mais dinheiro, empregos e investimentos para o Brasil, além de melhorar a qualidade do serviço e baixar os preços.

Ícaro Oliveira é membro da Juventude Democratas de Minas Gerais