Artigos

É carnaval! Todos aproveitam os festejos de momo. De norte a sul do Brasil, as pessoas se divertem felizes e alheias às denúncias de corrupção na Petrobras. Ledo engano. Mesmo com o pedido da revista Veja, que numa sacada de capa espetacular disse: “Só abra depois do carnaval”, os fatos negativos para o Governo do PT não cessam.

Foi noticiada uma reunião secreta do Ministro de Estado da Justiça, José Eduardo Cardozo, com advogados de empreiteiras investigadas pela operação Lava Jato da Polícia Federal. Segundo apurações, o ministro Cardozo teria dito que as investigações seriam “brecadas” após o carnaval. Tudo isso para demover os donos de construtoras da ideia do momento: delação premiada. Essa tem dado muita dor de cabeça para os petistas. As reações vieram naturalmente, em destaque o ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa. O ministro aposentado disparou um torpedo em pleno sábado de carnaval, mirando na Esplanada dos Ministérios: “Nós, brasileiros honestos, temos o direito e o dever de exigir que a Presidente Dilma demita o Ministro da Justiça. “

Essas foram as palavras que Barbosa ecoou pelo Twitter e que ganharam repercussão na imprensa em pleno domingo de carnaval. O ex-presidente do STF se coloca no papel de cidadão preocupado com a República. Isso é muito importante.

Voltemos agora para as festas, para a folia. Durante o Galo da Madrugada, no vizinho Estado de Pernambuco (escrevo da minha amada João Pessoa, capital da pujante Paraíba), vimos Lula e Dilma no centro das “homenagens” dos foliões. Várias fantasias com malas de dinheiro, de acionistas da Petrobras com nariz de palhaço, entre outras brincadeiras com pano de fundo claro: a corrupção institucional que tomou conta do nosso país. O sentimento de revolta ganha, até no carnaval, um espaço de destaque no desfile. Com os preços em alta, puxados pelo reajuste dos combustíveis, o ânimo dos brasileiros não consegue ser pleno nem mesmo na folia.

Outro caso que atinge diretamente a Juventude brasileira é o do Fies. O programa de financiamento estudantil para o ensino superior sofreu várias alterações em portarias divulgadas pelo MEC no início do ano. Tudo isso sem diálogo prévio entre estudantes e instituições de ensino. As mudanças deixaram no ar um clima de instabilidade e de insegurança para os quase 2 milhões de jovens brasileiros, que recorreram ao financiamento para conseguir conquistar uma carreira profissional. Na minha óptica, ficou claro que essas manobras comprovam que o Fies, assim como outros programas sociais do governo, foram sim utilizados como fator de chantagem eleitoral do PT.

No campo da ética, da moral, do respeito e da decência, vemos um governo caquético. Não honra os compromissos. A perda de credibilidade é pública e notória. As derrotas no parlamento corroboram minha afirmação. Durante as minhas leituras durante os festejos li algo que me animou. Peço aos leitores, licença para compartilhar trechos do artigo publicado pelo arcebispo da Paraíba Dom Algo Pagotto, no Correio da Paraíba (15/02/2015). Intitulado “Alienação”, o texto do líder da Igreja Católica dispara com dureza logo no primeiro parágrafo:

“Descobre-se um efeito cascata da corrupção na Petrobras. Em troca de grandes negócios, propina aos mediadores e membros do PT e cia. No Brasil, roubalheira tornou-se cultura política e, vice-versa, política tornou-se balcão de negócios…’

Essa reflexão, e tantas outras, nos mostram claramente que estamos no caminho certo. Da oposição ao atual governo, sem titubear e na certeza de que o combate será vencido com a verdade!

Dom Aldo arrematou seu artigo com um chamamento: “A ideologia vinculada à corrupção levou o país à incerteza e ao desalento. Acorda Brasil! “

Cabe a nós, jovens decentes, independente de religião e fé, acreditar que iremos superar essa momento de vergonha nacional. E quiçá, no futuro, tenhamos a chance de chegar lá e fazer diferente. De governar com competência, honestidade e patriotismo.

Ao terminar esse texto, ouço da janela o som que vem do carro de um folião. Sabe o que tocou? “Ai, ai, ai, ai, ai. Tá chegando a hora. O dia já vem raiando meu bem, eu tenho que ir embora”. Garanto que é um sinal. Para os corruptos do poder. Está chegando a hora de partir. Para nós da Juventude, chegou a hora de ir para cima! De seguir na luta com garra. E viva o Brasil.

Daniel Lima é bacharelando em Jornalismo, membro da Juventude Democratas da Paraíba e Vice-Presidente Nacional da Juventude Democratas.