Artigos

bruno alves

Eu, Bruno Alves, negro, venho a público apresentar meu mais veemente protesto e repúdio ao Coletivo de Entidades Negras (CEN), Organização Nacional do Movimento Negro, pela nota de repúdio dirigida à Polícia Federal, que batizou a 23ª fase da operação Lava Jato de “acarajé”.

Não vou entrar no mérito religioso, pois não vejo nenhum desrespeito às religiões de matrizes africanas, a nossa tradição e nossa história. O que observo é um politicamente correto torpe e uma tentativa vergonhosa de mudar o foco da operação.

O que deveria gerar repúdio é justamente o fato gerador da operação: a corrupção nos governos Lula/Dilma (PT). Na lambuzada do PT, como afirmou o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, “O PT se lambuzou”, pelo visto de acarajé, e no dicionário dos corruptos e corruptores desse esquema “acarajé” significa dinheiro.

O que me causa indignação é observar que apesar do destaque que a corrupção tem na política nacional, nos governos petistas, o Movimento Negro em nenhum momento fez nota, mobilização, ou alguma manifestação que demonstrasse sua preocupação com o momento crítico que atravessa o país.

O Movimento Negro que garantiu lugar de destaque nas lutas pela abolição da escravidão, liberdade, igualdade e valorização da nossa gente, da nossa identidade e cultura, parece que esqueceu os motivos que originaram sua construção.

Desvio de bilhões dos cofres públicos, corte de nove bilhões da educação, um milhão de novos desempregados, PIB e economia despencando, maior taxa de juros do mundo, aumento da energia, fechamento de indústria, elevação da inflação e alta do dólar, são alguns dos resultados da corrupção e falta de credibilidade do governo Dilma Rousseff.

Qual a posição do Movimento Negro frente a esse cenário desastroso? O MN não repudia a corrupção em nosso país? O MN não percebe que a população negra é a mais atingida por esse governo que não pensa nos brasileiros? A bandeira do MN agora é vermelha e tem uma estrela no meio? O MN defende as demandas da população negra ou o partido dos trabalhadores?

Bruno Alves é Secretário Geral Nacional da Juventude Democratas e Presidente da Juventude Democratas do Estado da Bahia