Artigos

O Brado da Liberdade. O povo cubano exige democracia – Por Suellen Márjorry

Os ditadores cubanos têm escutado, há dias, o som mais temido pelos tiranos: O GRITO DE LIBERDADE! O peso de décadas de uma ditadura que empobreceu e oprimiu o povo cubano, somado aos efeitos devastadores causados pela pandemia do COVID-19, e a maior crise econômica desde a queda da União Soviética, desencadearam protestos históricos de norte a sul do país.

Em resposta, o ditador cubano culpou os Estados Unidos, chamou os manifestantes de mercenários e enviou a polícia para reprimir os protestos. A velha cartilha do autoritarismo falhou! As ruas não se esvaziaram e o próximo passo do regime foi cortar o acesso à internet, deixando Cuba incomunicável.

Sejamos sinceros, a verdade é que nenhum ditador considera legítima uma manifestação que desafie seu poder. Aqueles que não amam a liberdade, não aceitam o fato de que temos direito às nossas próprias escolhas; os que odeiam a democracia, não acreditam que o maior poder político repousa, não nas mãos de alguns, mas nas mãos de todos.

Não se enganem! Os ditadores não são os detentores do poder. Soberana mesmo é a verdade que, com uma força e determinação incomparáveis, tem derrotado a mentira desde o início dos tempos. E, lembrem-se! Aqueles que lutam contra a liberdade perdem a guerra antes mesmo de colocar os pés no campo de batalha.

Não desistam! Vocês não são a minoria, muito pelo contrário, há milhões de pessoas, em todos os cantos do planeta, unindo-se em defesa da democracia. Não importa qual seja a mentira que estejam tentando impor a vocês, a realidade é que o mundo inteiro está ouvindo, em alto e bom som, o que o povo cubano grita nas ruas de todo o país: ABAIXO A DITADURA!

Suellen Márjorry é Secretária-Geral da Juventude Democratas de Belo Horizonte